Inova Portugal: O Portal do Empreendedorismo

Casos

Abolir o papel nas compras do dia a dia é o desafio proposto pela Recibos Online. A inovadora empresa está a patentear aquela que é a única solução a permitir que “qualquer retalhista passe a emitir faturas eletrónicas válidas legalmente, em vez das incómodas faturas em papel que se acumulam as nossas carteiras”. Rui Jorge Santos, mentor do projeto, quer transpor para o universo do consumidor final um conceito que as empresas já implementam entre si há vários anos. Quem sai a ganhar? O ambiente e todas as partes envolvidas nas transações, até porque em causa está muito mais do que uma proposta tecnológica. Se tem um negócio, mas continua reticente, saiba que têm um mês para testar gratuitamente este sistema no seu estabelecimento comercial. Read more...
Numa altura em que diferentes prémios e referências globais evidenciam Portugal como destino de eleição nas rotas turísticas internacionais, o ecossistema empreendedor responde com inovação às necessidades do mercado. É o caso da empresa Travel Health Experience (T.H.E), que proporciona aos turistas portadores de doenças sujeitas a tratamentos contínuos uma solução à medida, conjugando turismo, saúde, qualidade, profissionalismo, segurança e comodidade. Em apenas 72 horas, qualquer turista pode obter “um plano de assistência de saúde personalizado e paralelo ao seu plano de viagem, mantendo os cuidados de saúde que teria se estivesse no seu país de origem”, garante o empresário Carlos Mouta. O negócio nasceu de uma oportunidade detetada pelo empreendedor de 31 anos, em conjunto com o sócio Paulo Novais, de 36, durante o exercício da atividade profissional de enfermagem, que ambos desempenhavam antes de se dedicarem, por inteiro, à empresa de turismo médico. Read more...
Em Manchester, todos os dias se organizam jogos com o apoio da Playnify. A plaforma web e mobile criada por Joaquim Valente tem já utilizadores em todo o mundo, desportistas amadores que a ela recorrem para encontrar estruturas desportivas, em qualquer parte do globo, organizar jogos com os amigos, ou com desconhecidos, gerir resultados, entre muitas outras possibilidades. A internacionalização continua a ser prioridade para a empresa criada em 2012, que pretende apostar sobretudo no Brasil e no Reino Unido. O projeto associado da ANJE – Associação Nacional de Jovens Empresários apresenta vocação global desde a sua génese, mas a abertura ao mundo fica, em grande parte, a dever-se ao programa de incubação em Silicon Valley, do qual a startup beneficiou no ano transato. De acordo com Joaquim Valente, essa oportunidade “abriu várias portas” e possibilitou a constituição de “equipas de apoio em Boston e Manchester”. Hoje, contando já com 16 mil desportistas registados, e com milhares de encontros marcados na plataforma Playnify, o empreendedor não esconde a ambição de ir mais longe: “a angariação de métricas para conseguirmos suportar um bom negócio de investimento e escalar o negócio a nível internacional”. Métricas que funcionam também na hora de elencar as vantagens que a plataforma oferece aos desportistas. É que o projeto idealizado pelo engenheiro civil de 31 anos, durante a frequência de um o MBA na Porto Business School, inclui dois argumentos de carácter numérico cada vez mais valorizados: dinheiro e tempo. Salientando que a Playnify permite “poupar tempo e dinheiro na organização de jogos com os amigos e colegas”, o empresário especifica ainda que as ferramentas disponibilizadas são “muito mais eficientes que o email ou as SMS para a organização de jogos”. Quem joga, onde joga, quem marca e até quem pode entrar de novo Mas a métrica que mais diferencia o projeto é a que está associada à possibilidade de “encontrar campos para jogar”. Na Playnify é possível descobrir estruturas “em todo o mundo, tirando partido de uma base de dados com centenas de milhares de campos desportivos”, especifica Joaquim Valente. A tudo isto cumpre juntar a disponibilização do “histórico da atividade desportiva”. “A Playnify regista contra quem jogamos, onde, quando, qual o resultado e quem marcou os golos”, acrescenta o empresário, para logo sublinhar também a vasta utilidade do projeto ao nível da criação de equipas e dinamização de torneios: “é uma ajuda preciosa para universidades, associações ou grupos de amigos que queiram organizar uma competição”. A possibilidade de criar perfis de desportistas junta-se, na Playnify, à oportunidade de reservar o campo onde vai decorrer o jogo. Dos simples jogos de amigos aos torneios empresariais ou académicos, a plataforma permite gerir resultados e equipas, criando um histórico online que pode ser atualizado e consultado. Há já 16 mil utilizadores em todo o globo. Por isso, se vai ficar uns dias fora e ficar sem desporto é uma dor de cabeça, aqui pode estar uma boa solução para integrar uma equipa de praticantes locais. Um “serial entrepreneur” num mercado em formação Ex-colaborador da Critical Software, Joaquim Valente diz ser um “serial entrepreneur”, tendo inclusivamente fundado outras empresas antes desta. No caso concreto da Playnify, a liderança é partilhada com os responsáveis de dois projetos complementares: a Ubiwhere, empresa de desenvolvimento de software de Aveiro, que dedica uma equipa de desenvolvimento ao projeto; e a Glitz-design, empresa portuense, que é já uma referência no design nacional. Dividida entre as cidades do Porto e de Aveiro, a equipa de 10 pessoas reúne competências de gestão, marketing, desenvolvimento de software e design. De resto, a empresa beneficia ainda de parcerias externas, úteis à sua expansão. É o caso da Sport Zone, que, de acordo com Joaquim Valente, “tem sido um importante aliado na promoção do projeto a nível nacional”. A concorrência referida pelo empresário é pouca, resume-se ao mercado internacional e detém um posicionamento ligeiramente diferente. Trata-se, pois, de um “mercado completamente em aberto”, que Joaquim Valente encara com muita expectativa. “Há muito por explorar, especialmente na área do digital e dos wearables”, acrescenta a propósito do cruzamento de oportunidades entre o setor do desporto e o setor das tecnologias digitais. Dos EUA ao Reino Unido com 16 mil desportistas e milhares de encontros marcados A internacionalização da Playnify tem origem no programa de aceleração cumprido em Silicon Valley, o qual foi determinante para a formação de equipas técnicas em Boston. Mas a plataforma de desportistas tem milhares de utilizadores em todo o mundo. Ao sucesso em terras norte-americanas soma-se a boa adesão no Reino Unido, particularmente em Londres e Manchester. Lançada em 2012, a Playnify conta já com o registo de 16 mil desportistas, que recorreram à plataforma para agendar milhares de encontros. Ainda que o futebol seja rei, são inúmeras as modalidades escolhidas pelos utilizadores, que ali acedem a uma base de dados mundial, composta por de centenas de milhares de estruturas para a prática desportiva.        
A capacidade de adaptação foi a chave da GeoPoint para redescobrir o mercado e o sucesso, apostando em novas aplicações para os Sistemas de Informação Geográfica. Criada em 2000 com o propósito de formar novos técnicos de informação geográfica, a empresa mudou o foco de intervenção para as organizações e desenvolve soluções de consultoria, software e apoio aos processos de gestão, marketing e vendas com base no território. A formação está agora confinada ao regime de e-learning e a mudança revelou-se uma aposta ganha, já que a GeoPoint apresenta uma taxa de crescimento entre os 30% e os 35%. O próximo passo é “consolidar a posição em Portugal” para “a médio prazo apostar na internacionalização”, refere Francisco Costa, managing partner da GeoPoint. Read more...
Em 2013, exportou 80% do software produzido nos seus três centros nacionais e este ano deverá aproximar essa taxa dos 90%. Atua nos cinco continentes, tem 196 colaboradores, fechou o ano passado com 10 milhões de euros de faturação e tem entre os principais clientes a Vodafone Group, entre outras referências como Deutsche Telekom Group, Telefónica e Orange. Falamos da WIT Software, empresa de desenvolvimento de software do mercado das telecomunicações móveis, criada em 2001 como spin-off do Instituto Pedro Nunes, em Coimbra. O fundador e CEO Luís Moura e Silva dá-nos a conhecer este projeto de vocação global. Read more...
mo.ca. – mobiliário de cartão
Ele é arquiteto, um ás em desenho e geometria descritiva, que em criança aspirava ser carpinteiro e construía os próprios brinquedos. Ela estudou enologia, já trabalhou em turismo, tem um talento especial para os trabalhos manuais, anseia pelo equilíbrio social e diz que vê o mundo em tons de verde. Unidos pelo cupido, Filipa Carrêtas e Jorge Sá casaram talentos e convicções num projeto criativo e sustentável, que se dedica à construção de mobiliário e adereços decorativos, a partir da reutilização de desperdícios de cartão. Candeeiros, mesas, estantes e bengaleiros são algumas surpreendentes propostas com assinatura mo.ca. – mobiliário de cartão. Read more...
Isabel Baptista nasceu, estudou e construiu carreira no Porto. Mas foi em Tavira que se fez empreendedora. A experiência e o know-how na área dos Recursos Humanos são agora aplicados na MajorDomus, uma empresa de serviços integrados de gestão e manutenção de propriedades, nascida em 2011. A ligação ao setor imobiliário, fortemente afetado pela crise, exige da empresa um esforço acrescido, sobretudo de inovação. Os arrendamentos e a rentabilização de casas e apartamentos na região do Algarve são os serviços base, que podem ser complementados por ofertas personalizadas tão variadas como mercearia ao domicílio. O objetivo é que, independentemente dos alugueres que possam ter ocorrido, o proprietário encontre o imóvel nas condições por ele definidas como preferenciais e possa usufruir do seu espaço com as comodidades de um hotel. Read more...
Aos 26 anos, sem que a sua situação profissional justificasse ou a formação académica fizesse prever tal opção, Diva Costa abalançou-se na aventura empreendedora e criou a Grow – Agência de Nannies e Babysitters. A crise não intimidou a jovem portuense, que diz até encontrar na situação económica e social do país uma oportunidade. Afinal, neste momento, “as famílias têm de dedicar mais tempo aos seus trabalhos, as empresas precisam de produzir e vender mais e tudo depende do desempenho dos seus colaboradores, o que intensifica a procura de apoio extra familiar”, afirma. Tempo e tranquilidade é a proposta de valor da Grow na hora de entrar em casa dos clientes e assegurar os cuidados da criançada. Read more...
Traço Alternativo
As coordenadas de GPS com a localização exata das obras, as fotografias e os textos informativos orientam na perfeição quem decide partir à descoberta do nosso património com o apoio dos Guias de Arquitetura. O conceito lançado pela empresa Traço Alternativo surgiu em papel, com a edição de livros, mas já se estendeu a uma plataforma online e ao desenvolvimento de uma App. Um caminho alternativo que a sociedade de arquitetos confirma ser hoje uma lufada de ar fresco no contexto de asfixia empresarial ao qual o setor não escapa. Nuno Campos, 37 anos, o coordenador do projeto, apresenta-nos uma sugestão de presente de natal: o recém-lançado guia “Espaços e Edifícios Reabilitados”. Read more...
Daniela Lacerda, Nuvem com Pinta
Contornar o desemprego através do empreendedorismo é um dos desafios impostos pela actual conjuntura económica. As opções são múltiplas e vão além das experiências profissionais anteriores e até mesmo das áreas de formação profissional do potencial empresário. Testemunho disso mesmo é Daniela Lacerda que, ao cabo de vários anos ao serviço de uma das principais operadoras de telecomunicação nacionais, voltou atenções para o universo infantil e decidiu criar a Nuvem com Pinta, uma creche que inova no formato e nos serviços. Babysitting, natação para bebés e até sessões fotográficas são algumas das valências da empresa criada com o apoio do IEFP. Read more...
São programadores culturais de Guimarães Capital Europeia da Cultura - onde têm também dinamizado iniciativas de suporte e estímulo à criatividade - mas foi pelo Porto que começaram e é precisamente na invicta que organizam anualmente o Get Set Festival, evento internacional de apoio aos jovens criadores. Falamos de quatro arquitetos que podemos até intitular de cientistas criativos, uma vez que é em laboratório que trabalham. OPO’Lab é o nome deste projeto de experimentação e exploração, que fomos conhecer através de Luís de Sousa, um enfant terrible de apenas 26 anos, que se diz movido “por uma irreverência quase absoluta”. Read more...
Nasceu na Copenhagen Business School, mas é um projeto português ao qual já se associaram 20 universidades europeias de primeira linha. O empreendedor Pedro Miguel Gonçalves pretende com o Face MBA interligar atuais, potenciais e antigos alunos de MBA, numa rede social onde estão disponíveis múltiplas informações sobre as melhores escolas de gestão e os melhores cursos de negócios. Se procura uma formação avançada deste tipo, fique atento. O lançamento da plataforma está marcado já para o final deste mês. Read more...
À primeira vista, arquitetura, fotografia, design e 3D parecem áreas de atividade produzidas sob linguagens e princípios independentes de qualquer relação. Mas a startup FAHR 021.3 contraria este pressuposto e, perante a imensidão de ofertas convencionais do nosso mercado, aplica o conhecimento técnico e experiência internacional na criação de soluções convergentes, renovadoras e úteis aos diferentes setores, chamando a si a missão de contribuir para o desenvolvimento das Indústrias Criativas. O conceito Hairchitecture – que aplica a arquitetura ao hairstyling – é uma das inovações introduzidas pela empresa portuguesa de inspiração alemã. Read more...
EUA, México, Brasil e França são os quatro mercados responsáveis por mais de 90% das vendas da aplicação TOP Files. Desenvolvida com o acompanhamento da ANJE, no âmbito do projeto Tec Empreende, a aplicação atingiu os “tops” internacionais da App Store, a loja virtual da Apple, em apenas dois meses. Mas esta solução de gestão de ficheiros trata-se apenas do primeiro produto de uma “suite de apps” com a qual a startup TOP Research se propõe revolucionar métodos de trabalho, estudo e investigação. Motivado pela resposta a uma necessidade partilhada por cerca de 150 milhões de pessoas em todo o mundo, Nelson Pereira confessa-se otimista na aplicação de um modelo de negócio global, embora reconheça o desafio constante imposto pelo mercado mobile. Read more...
Avaliar o potencial terapêutico de novos fármacos para o tratamento de doenças psiquiátricas e neurológicas é o propósito da Bn’ML – Behavioral & Molecular Lab, spin-off da Universidade do Minho cuja solução pode poupar milhões às farmacêuticas de todo o mundo. Liderada por cinco jovens cientistas, a empresa otimiza o processo de compostos terapêuticos, assegurando um teste prévio em animais de laboratório. Um exemplo de inovação tecnológica que vai de encontro a duas oportunidades concretas: por um lado, o número crescente de pessoas com depressão e perturbações de ansiedade (20% da população ativa mundial, 38% no caso europeu) e, por outro, o facto de apenas um número muito reduzido dos pacientes apresentar remissão total da sintomatologia após o tratamento. Read more...
Investir nem sempre significa ganhar dinheiro, mas a chegada do website Zercatto.com veio aumentar em larga escala as probabilidades de sucesso dos investidores mundiais. Desenhada durante o 16º Concurso de Ideias da ANJE, a plataforma online criada por três empreendedores portugueses funciona como um mecanismo de aconselhamento e auditoria que permite seguir, controlar e acompanhar os ganhos dos “melhores do mercado financeiro”. Em funcionamento desde o início do ano, a única empresa do género autorizada pela CMVM já saltou fronteiras e continentes e acaba de receber o apoio do maior fundo europeu de capital semente, baseado em Londres. Read more...